O Coronavírus (Covid-2019) é uma doença causada pelo novo tipo de coronavírus identificado em dezembro do ano passado. Ele pertence à família de vírus de mesmo nome que causa infecções respiratórias. 

QUAL É A GRAVIDADE?

A Organização Mundial da Saúde classificou, no dia 11/03/2020, a situação atual como Pandemia.

Aqui no Rio Grande do Sul foram notificados, até 10/03, 234 casos, sendo quatro confirmado, 129 descartados e 69 suspeitos que seguem em investigação. Os dados oficiais são atualizados a cada 24h no site www.saude.rs.gov.br.

A Secretaria da Saúde do RS definiu a ativação de Centro de Operações de Emergências (COE) COVID-19 e criou um plano de contingência para que pode ser acessado no site www.saude.rs.gov.br/coronavirus-plano-de-contigencia.

Veja mais

SINTOMAS

O novo coronavírus apresenta sintomas parecidos com uma gripe, por isso, é importante ficar atento a outros fatores como: ter estado com pessoas que viajaram para outros países, pessoas que já apresentaram sintomas da doença, grupos de risco, etc.

Confira abaixo os principais sintomas apresentados pelos pacientes:

     

Algumas pessoas também apresentam dores de garganta e no corpo, congestão nasal, coriza ou diarreia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) os sintomas são leves e aparecem de forma gradual.

 

E EM CASO DE SUSPEITA?

A Secretaria Estadual de Saúde possui um Plano de Contingência que abrange a investigação dos casos suspeitos e estabelece a rede de atendimento para os confirmados. Faça sua parte: 

Já estão disponíveis para a população e para os profissionais de saúde dois telefones para esclarecimentos e notificações:

*Disque Vigilância, da Secretaria Estadual da Saúde – Telefone 150 / e-mail: disquevigilancia@saude.rs.gov.br (atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 22h; aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 22h)

*Disque Saúde, do Sistema Único de Saúde (SUS) – Telefone 136 (atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; aos sábados, das 8h às 18h)

PREVENÇÃO

O novo coronavírus oferece risco para a saúde mundial. Porém, é importante lembrar que toda forma de comunicação deve ser mediada pelo diálogo a fim de evitar medidas que gerem pânico e sobrecarreguem os serviços de saúde desnecessariamente, prejudicando o tratamento de doentes e expondo mais pessoas ao contágio viral.

   

Leve as mãos frequentemente com água e sabão ou use álcool gel 70%.

Além disso evite tocar olhos, boca e nariz.

Reforce também a higienização do seu ambiente de trabalho e de casa.

    Cubra o rosto com um lenço descartável ou com o braço ao tossir ou espirrar. Tente também manter uma distância de pelo menos um metro de pessoas que estejam tossindo.
   

Evite contato físico. Neste momento é importante evitar apertos de mãos e abraços, além disso, também não compartilhe utensílios pessoais e o chimarrão.

Quando possível, evite locais com grande aglomeração de pessoas.

    E as máscaras? Devo usar? A orientação da OMS é de que o item seja utilizado apenas por pessoas que estejam sendo monitoradas com a suspeita da doença ou que já tenham sido confirmadas. As máscaras são descartáveis, ou seja, devem ser utilizadas apenas uma vez, e o uso indiscriminado pode acabar causando o desabastecimento do produto.

 

Outras dicas

– Fique em casa se não estiver se sentindo bem. Se tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico e ligue com antecedência. Siga as instruções das autoridades de saúde locais.

– Informe-se sobre as atualizações em relação ao COVID-19. Siga as orientações do seu médico, autoridades sanitárias nacionais e locais relevantes ou seu empregador sobre como proteger a si e a outras pessoas do COVID-19. O site do Ministério da Saúde atualiza as informações em tempo real sobre a situação no Brasil: https://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/coronavirus/.

– Verifique as últimas notícias sobre as áreas mais perigosas (ou seja, cidades e locais onde a doença está se espalhando mais amplamente). Se possível, evite viajar para essas áreas, especialmente se você é idoso ou tem diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares.

– Fuja das fake news. Informe-se sobre a veracidade da informação antes de repassar. Pelo endereço: https://www.saude.gov.br/fakenews/coronavirus, é possível acessar notícias que já foram atestadas como fake news pelo Ministério da Saúde na temática. Também é possível enviar gratuitamente mensagem com imagens ou textos recebidos das redes sociais para confirmar se a informação procede para o telefone (61)99289-4640. 

– Informe-se, previna-se, dissemine essas informações!

 

 

E QUEM VIAJOU PARA UMA ÁREA DE RISCO?

– Se tiver viajado para uma área de risco nos últimos 14 dias, é importante ficar em casa como forma de prevenção (para que seja melhor monitorado caso surja algum sintoma).

– Caso tenha histórico de viagem para área de risco, fique em casa caso comece a se sentir mal, mesmo que apresente sintomas leves como dor de cabeça, febre leve (37,3º ou mais) e coriza leve, até se recuperar. Se você achar essencial sair de casa ou receber uma visita (por exemplo, receber uma entrega), use uma máscara para não infectar outras pessoas.

– Se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure orientação médica rapidamente, pois pode ser devido a uma infecção respiratória ou outra condição séria. Informe o seu médico sobre quaisquer viagens que você fez recentemente ou qualquer contato que tenha tido com viajantes.

Fontes: Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde, Secretária de Saúde do RS.

MEDIDAS SISTEMA FECOMÉRCIO-RS/ SESC/ SENAC

O Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/ Senac está adotando uma série de medidas preventivas à contaminação do novo coronavírus (Covid-19), seguindo determinações do Decreto nº 55.115 do governo do Rio Grande do Sul publicado nesta sexta-feira (13/03).

Estão sendo tomando as providências necessárias para minimizar a propagação da doença entre seus colaboradores e demais públicos, evitando decisões e abordagens que gerem pânico e sobrecarreguem serviços de saúde sem necessidade. A instituição acredita que as regras de precaução são a melhor forma de prevenção. 

SESC

Todas as Unidades do Sesc no Estado, incluindo o Departamento Regional, estão fechados desde 21 de março. Essa decisão foi estabelecida por um prazo de 15 dias, podendo ser revista a qualquer momento, e leva em consideração o decreto de calamidade pública publicado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Gerentes de Unidades do Sesc estarão disponíveis para atender eventuais demandas. No Departamento Regional, haverá colaboradores de plantão por telefone, especialmente para dar suporte às atividades home office. 

 

SENAC

Todas as escolas no Estado, Capital e interior suspenderão suas atividades por 15 dias, desde sexta-feira (20/3). A decisão foi tomada com base no decreto de calamidade pública publicado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, no dia 19/03.

Neste período, os alunos terão as aulas migradas para a plataforma on-line de ensino. Além disso, alguns setores funcionarão em regime de home office para garantir o atendimento remoto ao cliente. 

CONTATOS DE AUTORIDADES

Telefones e e-mail divulgados pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo Ministério da Saúde:

Disque Vigilância – Secretaria Estadual da Saúde
Telefone: 150 (de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 22h; aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 22h).
E-mail: disquevigilancia@saude.rs.gov.br

Disque Saúde – Sistema Único de Saúde (SUS)
Telefone: 136 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; sábado, das 8h às 18h)

Mapa dos casos por país e estado, atualizado em tempo real pela OMS – acesse aqui.