Rede de conversas - E o circo na rede. Reflexões e diálogos.

03 de dezembro
20h
Plataforma Zoom
Inscreva-se aqui

Espaço de diálogo com artistas circenses, interessados na linguagem, produtores e realizadores de ações de circo. O espaço propõe uma roda de conversa para compartilhamento das práticas desse ano de 2020 no ambiente virtual e possibilidades futuras. Um diálogo sobre práticas, construção de pensamentos e fortalecimento de redes.

Participantes: Leo Braga (Sesc DF – Festiclown), Fabiana Vilar (Sesc RJ – Picadeiro Móvel), Josenira Fernandes (Sesc – Ispiaí Festival Sesc Pantanal de Circo), Raphael Coutinho (Sesc Nacional), Marcela Pultrini Pereira de Oliveira  (Festival de Circo de Taquaruçu / TO), Angelo Márcio (Festival Internacional de Circo do Ceará), Circos – Festival Internacional Sesc de Circo (Sesc – SP)   

 Conversas em Rede – Palhaçaria Feminina, Palhaçaria Negra, Gênero e Diversidade 

04 de dezembro
15h  
Plataforma Zoom
Inscreva-se aqui

Essa conversa propõe apresentar perspectivas não hegemônicas sobre a pesquisa e os processos de criação em torno da palhaçaria e comicidade. Nesse contexto, as convidadas trazem ao debate suas reflexões em torno de temas como Palhaçaria Feminina, Palhaçaria Negra, Palhaçaria DisruptivaPalhaçaria LGBT+, entre outros temas que entrecruzam os olhares e trabalhos das artistas e pesquisadoras convidadas. 

Mediação: Maria Andrea Soares (UNILAB) e Raquel Guerra (UFSM)  

Convidadas:  
Ana Luísa Bellacosta 
Antônia Vilarinho 
Daiani Severo Brum 
Priscila Genara Padilha 
Silvana Silvia 

Sobre as mediadoras: 

Maria Andrea Soares atua como docente junto à Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB). Possui graduação na área de Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação Artes Cênicas pela Universidade Federal de Santa Maria (2000), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Antropologia Social pela University of Texas at Austin (2015). Tem experiência nas áreas de Antropologia Social, Estudos de PerformanceEtnomusicologia e Teoria Pós Colonial, com ênfase em estudos de diáspora africana, cultura afro brasileira, feminismo negro, estudos culturais e performance. É pesquisadora junto ao grupo “Processos sociais, memórias, narrativas Brasil- África –Nyemba da UNILAB e pesquisadora do GEM – Grupo de Estudos Musicais do Programa de Pós Graduação em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

Raquel Guerra é professora, diretora, atriz e palhaça e produtora cultural. Atua como Professora Adjunta na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É Doutora em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Tem formação complementar de técnicas acrobáticas na North Texas Academy(Dallas, USA). É organizadora de eventos como o Encontro de Palhaços da Coxilha e a Mostra de Teatro. Coordena o Grupo de Pesquisa CINECIRCO/CNPq com o qual desenvolve projetos de Teatro, Circo e Audiovisual. Participa de montagens e produções do Grupo Ateliê do Comediante. Dirigiu e produziu os espetáculos Pernas pra que te quero (2011), Cabaré Valentin (2015), Cabaré Café (2016), Circo Bambo (2017), Multiversidade (2017), Poema Ema (2016) e Circenses da Boca do Monte (2018). Coordena e dirige o projeto audiovisual O Circo Passou, que documenta os circos itinerantes em Santa Maria/RS, desde 2016. 

Sobre as convidadas: 

Ana Luiza Bellacosta é atriz formada Universidade de Brasília, UNB. Tem especialização técnica em Palhaçaria Clássica pela Ècole de Clown et Comedie Francine Côtê-Montreal/Canadá e é Produtora Cultural. Trabalha com teatro, circo e produção há 20 anos. É  integrante de 3 companhias com grande expressão artística no cenário cultural de Brasília: ANDAIME Cia de Teatro, Cia COLAPSO e PIRILAMPO TEATRO DE BONECOS E ATORES. Fundadora do CABARÉ DA NEGA e da IRMÃS BELLANEIRO. Participa do Coletivo LABORATÓRIO DE PALHAÇAS E PALHAÇOS. Atualmente tem sua pesquisa voltada para a revisão de conceitos de gênero e raça na construção do humor e na palhaçaria e milita pela importância do protagonismo negro em festivais de circo e palhaçaria, além de fazer parte do Quilombo Beijamim de Oliveira, um coletivo de palhaçes pretes e da Rede de Palhaças do Brasil.  

Antonia Vilarinho – Palhaça Fronha: Antônia Vilarinho é atriz, diretora, palhaça, professora, gestora cultural e capoeirista. Desde 2002 oferece oficinas na linguagem do palhaço no Distrito Federal. Tem em seu currículo um curta metragem e espetáculos de teatro dirigido por renomados Diretores do Distrito Federal. Fazendo arte, ela já percorreu o Brasil e outros países. Recentemente fez especialização em o ator palhaço no hospital no Institut Le rire Médecin-Paris/França. Sua carreira como atriz sempre se pautou na pesquisa e no aprimoramento técnico da arte do palhaço. Atualmente atua no espetáculo solo: I Will Survive, dirigido pela atriz e palhaça Karla Conká do Grupo as Marias da Graça/RG. É Mestra em Teatro pela UDESC-Universidade Estadual de Santa Catarina na linha de pesquisa: Teatro, Sociedade e Criação Cênica.  

Daiani Cezimbra Severo Rossini Brum é palhaça e doutoranda em Teatro (UDESC), Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2017), bacharel em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Santa Maria (2012). Formou-se em Palhaçaria na Escola de Palhaços dos Doutores da Alegria, no curso de Formação de Palhaços para Jovens (2014). Dedica-se à atuação palhacesca hospitalar junto ao grupo Doutores Risonhos (Chapecó, SC), à criação artística autoral com a Cia Lunáticas de Palhaças (Florianópolis, SC), às ações artísticas, teóricas, formativas e de pesquisa na área de Artes Cênicas. Atualmente, dedica-se ao estudo da Palhaçaria feminista e estudos de gênero e de diversidade, sobretudo criados a partir da década de 1980, em diálogo com práticas e teorias do teatro e da palhaçaria interseccionadas com as questões feministas e LGBT+. Também tem experiência em interpretação teatral, máscaras, iluminação cênica, pesquisa e palhaçaria com ênfase na atuação de mulheres e nas poéticas dos contextos hospitalares. 

Pricila Genara Padilha: É encenadora e atriz. Professora Adjunta do curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina. Doutora pelo programa de Pós Graduação em Teatro da Universidade Federal de Santa Catarina e Mestra pelo programa de Pós graduação em Artes Cênicas da UFRGS. Possui graduação em Artes Cênicas –habilitação direção teatral (2003)e interpretação teatral (2002) pela Universidade Federal de Santa Maria. É coordenadora dos projetos de extensão Fórum Permanente de Estudos sobre as Artes Negras da Cena, História e Cultura Africana e Afro-Brasileira –FANCA e Palhaçaria Disruptiva: apresentação de números, cenas e espetáculos, bem como dos projetos de pesquisa Teatro Casa: Nair DAgostini e Palhaçaria Disruptiva: diferentes caminhos para uma tradição. Atualmente procura em todas as instâncias de seu trabalho, perspectivas antirracistas e feministas.  

Silvana Sílvia: Formada em Teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é atriz, locutora e palhaça. Atuou como vice-diretora do Coletivo Montigente, e em diversos espetáculos em Porto Alegre e Rio Grande do Sul. Também tem participação em Cinema e TV. Atualmente dedica-se ao estudo da Palhaçaria em Hospitais e as intersecções entre as questões de gênero e negritude.