Dia 30/9

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Complexo Fecomércio Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Vaga Carne

+

Cia. Grace Passô/ MG

Teatro adulto

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: A peça é um campo de jogo entre palavra e movimento, onde um corpo de mulher vive a urgência de discurso, à procura de suas identidades e de pertencimento. Em sua narrativa, uma voz errante, capaz de invadir qualquer matéria sólida, líquida ou gasosa, resolve, pela primeira vez, invadir um corpo de mulher e, a partir dessa experiência, narra o que sente enquanto sujeito, o que finge ser, o que é insondável em si, o que sua imagem é para o outro e sonda o que significa um corpo enquanto construção social. Vaga Carne inaugura o Projeto Grãos da Imagem, que reúne trabalhos em torno de temas identitários. 

Concepção, atuação e texto: Grace Passô
Equipe de criação: Kenia Dias, Nadja Naira, Nina Bittencourt, Ricardo Alves Jr. e Ricardo Garcia
Luz: Nadja Naira
Técnica e operadora de som: Lara Cunha
Trilha sonora: Ricardo Garcia
Técnica e operadora de som: Jiulian Regine
Figurino: Virgilio Andrade
Fotografia: Lucas Ávila
Pesquisa e produção: Nina Bittencourt
Duração: 50 minutos

Dia 1/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Intercâmbios e conexões :: Vaga Carne: construções e desdobramentos

+

Participantes: Grace Passô (MG) e Coletivo Pretagô (RS)

Horário: 19h às 21h

Sinopse: A partir da exibição do filme média-metragem Vaga Carne, dirigido por Grace Passô e Ricardo Alves Jr. e da apresentação da trajetória do Coletivo Pretagô, os profissionais estabelecem um diálogo sobre as suas construções, desdobramentos a partir de suas obras e perspectivas para novas possibilidades do momento. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Ikuãni

+

Grupo: Garatuja de Artes Cênicas/ AC

Dança

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Ikuâni, mulher amazônica do século XVI, detentora de uma ancestralidade feminina do tempo antes do tempo, quando o mundo era livre dos homens maus, os Nawa. Esse trabalho trata da decodificação da movimentação cotidiana da mulher Huni kuin. A linguagem do corpo em movimento durante seus afazeres e sua organização estética, coreográfica, ritualística e espiritual, onde a música ocupa um lugar fundamental no desempenho do ritual das tradições indígenas. Toda movimentação cênica e narrativa corporal é baseada na vivência com essa ancestralidade da mulher indígena. 

Intérprete, pesquisa, e coreografia: Regina Maciel
Diretor Cênico e Iluminador: Ivan de Castela
Maquiagem e Iluminação: Marina Luckner
Produção e Sonoplastia: Núbia Alves
Duração: 45 minutos 

Dia 2/10

.

Automákina - Universo Deslizante :: Atividade presencial

+

Grupo: De Pernas pro Ar/ RS

Teatro de Máquinas

Local: Parque da Redenção

Intervenção artística (horário não divulgado previamente)

Sinopse: “Automákina – Universo Deslizante” foi feita para estar nas ruas e praças das cidades. Por esses caminhos se apresenta o mundo do Duque Hosain’g, um mundo portátil, pessoal e impenetrável. É como se ele tivesse optado por levar o universo junto a si, construído a partir de seus múltiplos aspectos, os quais concretamente ganham vida. Seus pensamentos, as músicas que executa e seu DNA  se confundem com a nave. O tempo é deslizante e incerto. Rasgando o espaço urbano, sua procura é surpreendente. O estranho o acompanha e transforma tudo que está a sua volta. 

Direção: Jackson Zambelli
Autores: Luciano Wieser e Jackson Zambelli
Criação, atuação, bonecos, cenografia e instrumentos musicais: Luciano Wieser
Animação de autômatos e tecnologias: Tayhú D. Wieser
Equipe de montagem e monitoria: Raquel Durigon, Tayhú D. Wieser, Jonatan Ortiz Borges, Lauren Hartz, Denisson Gargione e Gabriel Gonçalves. 
Música original: Jackson Zambelli e Claudio Veiga
Músicos: Claudio Veiga, Luciano Wieser e Sergio Olivé
Gravação: Sergio Olivé
Técnico de som: Tayhú D. Wieser
Coordenação de produção e figurinos: Raquel Durigon
Realização: Grupo de Teatro De Pernas Pro Ar 
Duração: 50 minutos 

Roda

+

Artista: Rapha Santacruz/ PE

Circo

Horário: 16h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Circulando ele vem, trazendo pra roda os domínios fantásticos e misteriosos do reino da imaginação. Na bagagem, a alegria genuína de um brincante popular. E vai “arrodeando” e fazendo surgir uma surpresa a cada volta, e a roda vira circo, e do encontro brota magia. O brincante é de inspiração nordestina mas tem linguagem universal. Roda é ciclo de alegria, virando noite e dia nos arrodeios dos sonhos e destinos desejados. Sem começo, sem fim, a Roda é o meio de tudo que de tudo um pouco tem. O espetáculo surgiu da vontade de aprofundar a pesquisa de linguagem cênica, que mescla mágica, palhaçaria, circo, música, dança, teatro físico… realizando trabalhos autorais que priorizam uma dramaturgia corporal, que praticamente não utiliza texto. Com este objetivo, ele iniciou uma pesquisa nas manifestações tradicionais da cultura nordestina, buscando referências principalmente na Brincadeira do Cavalo Marinho. Em paralelo, aprofundou seus estudos de palhaçaria e comicidade física, e seus improvisos musicais. 

Concepção: Rapha Santacruz e Christianne Galdino
Intérprete-criador: Rapha Santacruz
Consultor teatral: Marcondes Lima
Preparador corporal: Pedro Pernambuco
Diretora de produção: Christianne Galdino
Assistente técnico/operador de som: Johann Brehmer 
Duração: 50 minutos

Dia 3/10

.

2 Mundos

+

Grupo: Cia. Lumiato Teatro de Formas Animadas/ DF 

Formas animadas

Horário: 16h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil 

Sinopse: Inspirado na colonização da América e dos territórios do mundo todo, o espetáculo conduz o espectador a viajar por um tempo passado que encontra analogias contínuas com o presente. “2 Mundos” conta a história do encontro de duas culturas opostas, onde se revelam os sentimentos e motivações mais profundas da humanidade. Quando no embate das diferenças explode a luta pela vida, a morte de um jovem acontece trazendo uma nova esperança.

Direção, Cenografia e Iluminação: Alexandre Fávero
Ideia original e Argumento: Soledad Garcia
Roteiro: Alexandre Fávero, Fabiana Bigarella, Soledad Garcia e Thiago Bresani
Sombristas: Soledad Garcia e Thiago Bresani
Assistente de direção: Fabiana Bigarella
Pesquisa e construção do material cênico: Soledad Garcia e Thiago Bresani
Trilha sonora: Mateus Ferrari
Designer de som: Marcelo Dal Col
Figurinos: Soledad Garcia
Montagem e operação de som e luz: João Dimas
Fotografia: Diego Bresani
Produção: Thiago Bresani 
Duração: 50 minutos 

Intercâmbios e conexões :: Vaga Carne: Conversas sobre dramaturgias

+

Participantes: Grace Passô (MG) e Coletivo do espetáculo A mulher Arrastada (RS) 

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Encontro entre profissionais que, a partir de suas dramaturgias, trazem obras importantes e significativas para o cenário atual. Obras que incentivam as necessárias discussões sobre gênero e raça nesse país, abrem mais espaços para conversarmos sobre as violências impostas e escancaradas diariamente para todos nós.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever.

Dia 4/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Intercâmbios e conexões :: Das artes da cena e os povos indígenas

+

Participantes: Garatuja de Artes Cênicas (AC) e Complô Cunhã (RS)

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Ikuãni aborda a história do povo originário, os povos indígenas e toda a sura riqueza cultural, a necessidade de ampliar o olhar para os amazônida. A partir da mulher indígena Huni Kuin, é possível mostrar uma cultura que está sofrendo perdas, em todo território nacional. Terra Adorada é dirigido aos não-indígenas, faz uma denúncia sobre a situação dos povos indígenas no Brasil, partindo, especialmente, da violência contra as mulheres indígenas. Neste encontro, as atrizes/pesquisadoras, compartilham suas experiências para essas criações e suas vivências junto aos povos Huni Kuin, Kaingang e Guarani. É urgente e necessário que as culturas indígenas tenham visibilidade também nas artes cênicas. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Mini Cabaré Tanguero

+

Grupo: Cia Fenomenal/ AL

Circo

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil 

Sinopse: Um olhar sutil e minimalista sobre os tradicionais “Cabarés Porteños”. Um solo da excêntrica Julieta com muita mágica, humor, manipulação e dança que surpreende e emociona.

Criação, direção e intérprete: Julieta Zarza
Colaboração em direção: José Regino, Marcelo Lujan e Luana Proença
Realização do boneco e preparo em manipulação: Sol Lavitola
Voz do Cachito: Wíllian Lopes
Preparo em mágica: Charly Viera e Rapha Santacruz
Colaboração criativa: Luana Proença, Janaina Azevedo, Rosana Loren Vasconcelos e Alessandra Vieira
Figurino, cenário e objetos de cena: Julieta Zarza
Músicas “Milonguita Paulista” e “La gravedad siempre Gana”: Julieta Zarza e Juan Sardi
Músicos da trilha original: Luis Reales, Gerardo de Mónaco, Juan Sardi e Eduardo Avena
Vídeo: João Paulo Procópio
Fotografia: Anderson Brasil e Paula Carrubba
Design: Renato Medeiros
Duração: 55 minutos 

Dia 5/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Macbeth e o Reino Sombrio: Shakespeare para crianças

+

Grupo: Coletivo Órbita/RS

Teatro para a infância e juventude

Horário: 16h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Os generais de guerra Macbeth e Banquo voltam triunfantes de uma batalha contra a Noruega. Passando por um pântano, se deparam com três bruxas que lhes apontam algumas previsões: Macbeth será barão de Cawdor e futuramente rei. E Flaêncio, filho de Banquo, também será rei. A ambição de Macbeth e de sua esposa, Lady Macbeth, diante das profecias das bruxas, leva-os a cometer um gesto de traição contra o rei, gerando tempestuosos conflitos.

Texto: adaptação de “Macbeth”, de William Shakespeare, por João Pedro Decarli 
Direção: João Pedro Decarli
Elenco: Camila Pasa, João Pedro Decarli e Rodrigo Waschburger
Trilha sonora original e operação de som: Rafael Decarli
Criação e operação de luz: Bathista Freire 
Duração: 50 minutos

Dia 6/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Intercâmbios e conexões :: Teatro de sombras e os desafios da atualidade

+

Participantes: Cia Lumiato Teatro de Formas Animadas (DF) e Cia Gente Falante (RS)

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Quais são as questões que atravessam a produção de um espetáculo de teatro de sombras na atualidade e que nos conduzem a pensar como gerar sentido utilizando signos e símbolos e suas potencialidades na cena teatral. A transformação na criação de poéticas teatrais no teatro de sombras contemporâneo traz uma reconfiguração dos elementos que compõem a cena. A função do sombrista se modifica gerando novos desafios pela presença do corpo na cena e a incorporação da terceira dimensão no espaço cênico. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever.

Kintsugi, 100 Memórias

+

Grupo: Lume Teatro/ SP

Teatro adulto

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: “Kintsugi, 100 memórias” é uma proposta cênica que, partindo dos limites da teatralidade e de modo fragmentário, tenta se aproximar de uma ideia de memória não linear nem bucólica, mas sim uma memória que apresenta o gesto da vontade no ato de lembrar. Para nós, a memória não é nem monumentalista nem autocomplacente; é, sim, um exercício do presente para revisitar as crises passadas, os erros cometidos, as cicatrizes – pessoais e coletivas – que a história nos deixou e, assim, corrigir o nosso futuro; é o reencontro com a dor como ato de superação. Kintsugi, ou a beleza da imperfeição, é uma palavra japonesa que significa emenda com ouro. Essa arte consiste em reparar cerâmica quebrada com uma mistura de laca e pó de ouro, prata ou platina. 

Criação: Ana Cristina Colla, Emilio García Wehbi, Jesser De Souza, Pedro Kosovski, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini
Direção: Emilio García Wehbi
Dramaturgia: Pedro Kosovski
Atuação: Ana Cristina Colla, Jesser De Souza, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini
Desenho Sonoro: Janete El Haouli e José Augusto Mannis
Iluminação: Eduardo Albergaria
Orientação Coreográfica: Jussara Miller
Fotografia: Alessandro Soave e Arthur Amaral
Direção de Produção: Cynthia Margareth – Aflorar Cultura
Produção Executiva: Simone Veloso – Aflorar Cultura
Duração: 120 minutos 

Dia 7/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

Ritual de Sobrevivência Urbana :: Atividade presencial

+

Grupo: Coletivo Ecopoética/ RS

Performance

Local: Ponte dos Açorianos

Intervenção artística (horário não divulgado previamente)

Sinopse: Qual o preço a ser pago pelo consumo desenfreado e pelo descarte inconsequente? Que realidades podem surgir de um colapso ambiental cada vez mais iminente? Como é o mundo que nos aguarda além das telas de computadores e celulares? O habitar humano em seu pequeno espaço em meio ao lixo flutuante. A busca pelo alimento físico e espiritual em meio à degradação e poluição das águas. Um homem e uma mulher equilibrando-se na condição de viajantes em sua jornada. Uma metáfora dos pequenos rituais que permitem levar a vida adiante na busca por sobrevivência.

Criação e performance: Marina Mendo e Rossendo Rodrigues

Cenografia e coordenação técnica: Rodrigo Shalako

Fotografia: Débora Lorenz

Duração: 120 minutos 

Classificação etária: Livre

Sobre Azares Futuros

+

Grupo: Budejar Criações Artísticas/ MA

Teatro adulto

Horário: 20h

Transmissão: Youtube Sesc Brasil

Sinopse: Um prólogo. Quatro cenas. Uma atriz. Cinquenta minutos de narrativas políticas, poéticas, singelas, dolorosas e alegres sobre ser mulher no mundo, sobre as lutas diárias do universo feminino. Os azares futuros; os assédios; os abortos; as maternidades e os direitos sobre o corpo; são essas as questões políticas em debate, na cena, no corpo e nas marcas da atriz. O espetáculo trata sobre os contratempos cotidianos do universo feminino, que ao longo dos tempos foram, equivocadamente, naturalizados. O espetáculo costura marcas individuais, experiências familiares, relatos, memórias e modos diversos de estar e ser mulher no mundo. O mundo enquanto território, lugar, espaço habitado, que é permeado de dificuldades, sonhos, desejos e resistências. 

Elenco: Lidya Ferreira
Iluminação e Direção: Abimaelson Santos
Figurino: Gabriel Gutierrez
Duração: 50 minutos

Dia 8/10

.

Edifício Cristal :: Atividade presencial

+

Grupo: Cia. Incomode-te/ RS

Teatro Instalação

Local: Sede Sistema Fecomércio-RS/ Sesc/Senac (Rua Fecomércio S/N – Bairro Anchieta)

Horário: Mediante agendamento

Sinopse: Edifício Cristal é uma cristaleira cenográfica onde cada nicho representa o apartamento de um dos moradores de um edifício durante a pandemia. Composta por 11 histórias, a produção permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada. Cada uma das histórias tem aproximadamente 3 minutos de duração.

Agendamento para visitação: pelo e-mail palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br
Idealização: Liane Venturella
Concepção de Interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz
Textos: Carlos Ramiro, Liane Venturella e Nelson Diniz
Locuções: Carlos Ramiro, Letícia Vieira, Liane Venturella e Nelson Diniz
Cenotécnica: Mateus Grimm
Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian
Trilha Sonora: Angelo Primon
Desenho de Som: Juan Quintáns
Identidade Visual: Ricardo Petry
Assessoria de Imprensa: Léo Sant’Anna
Produção Artística: Letícia Vieira
Produção: Primeira Fila Produções
Realização: Cia Incomode-te
Duração: 30 minutos

O Vazio é Cheio de Coisa

+

Grupo: Cia Nós No Bambu/ DF

Circo

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil 

Sinopse: Um corpo humano e um bambu se bastam. Do encontro minimalista entre um bambu oco e um corpo recoberto de experiências da artista, uma profusão de imagens e significados invadem o imaginário do público. Num vazio, se desenrola uma dramaturgia ilustrada por meio da poesia, da pele, do vegetal, do gesto, do olhar, do som e da luz.

Concepção, coreografia: Poema Mühlenberg e Edson Beserra
Intérprete criadora, figurino, cenografia e bambuzeria: Poema Mühlenberg
Direção: Edson Beserra
Colaboração Coreográfica: Ana Flávia Almeida
Colaboração Cenográfica: Marcelo Ro Branco Rigging
Confecção de Corda Artesanal: Daniel Lacourt
Colaboração em Cenotecnia e Rigging: Jackson Prado
Trilha Sonora e Direção Musical: Samuel Mota
Vozes: Camila Becker
Instrumentação: Samuel Mota
Operação de Som: Edson Beserra
Iluminação: Emmanuel Queiroz – Trupe do Cerrado
Audiovisual: Caetano Maia e Mills
Fotografia: Diego Bresani
Preparação Corporal: Pratique Movimento
Produção: Galpão Bambu – Espaço de criação
Duração: 45 minutos 

Dia 9/10

.

O Circo a Céu Aberto

+

 

Grupo: O Circo a Céu Aberto/ RJ

Circo

Horário: 16h

Transmissão: Youtube Sesc Brasil

Sinopse: O espetáculo resgata aos espaços públicos a atmosfera poética do encontro, do aplauso, do sorriso, do despertar para a imaginação, por meio da linguagem do palhaço, da comédia física e da arte de rua. É idealizado e dirigido por Fabiano Freitas, o palhaço Piter Crash, que recria números inspirados em esquetes tradicionais da palhaçaria brasileira, utilizando em cena objetos como argolas, diabolô, malabares, jornais, bexigas, fita crepe, entre outros, e revela a potência da tradição circense na experiência de um “humor em estado puro”.

Palhaços: Fabiano Freitas. Michel Philippe, Deda Fioroti, Thadeu Ferreira
Duração: 60 minutos

Intercâmbios e conexões :: Ativar potências no e do corpo

+

Participantes: Lume Teatro (SP) e Cia Espaço em Branco (RS)

Horário: 17h às 18h

Sinopse: O corpo é uma potência poética virtual a ser explorada em seu limite para uma possível atualização espetacular, e esse é o trabalho de base de toda a história de pesquisa do LUME: ativar potências no e do corpo em sua fronteira expressiva. Partindo desse locus perguntamos: Como pensar o corpo para além de suas cisões e funções utilitaristas? Como problematizar um corpo em arte em seu enlace político, ético e estético? Para compor o diálogo, a Cia. Espaço em Branco que trabalha no desenvolvimento poético e político do performer dando foco às infinitas possibilidades da presença. Mesclando o rigor técnico da preparação dos atores a uma constante experimentação do teatro em relação ao cinema, à performance artística e às artes visuais, criam espetáculos teatrais marcados pela experimentação. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Intercâmbios e conexões :: Compartilhamentos de pesquisas

+

Participantes: Cia Nós do Bambu (DF) e Coletivo Pequenices: arte e educação (RS)

Horário: 19h às 21h

Sinopse: Pesquisa das possibilidades de interação entre corpos e diferentes formas, somando elementos de acrobacia, dança e teatro. Compartilhamentos de aprendizados, reflexões e desafios desta caminhada. O processo de criação de espetáculos, composição coreográfica, dramaturgia, hibridismo de linguagem, circo, relação com objeto e tecnologia.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Dia 10/10

.

A Piscina :: Atividade presencial

+

Dança

Local: Espelho D’Água do Parque da Redenção

Intervenção artística (horário não divulgado previamente)

Sinopse: “A Piscina” é uma construção artística inédita de dança contemporânea, com ambientação no espaço do maior parque público de Porto Alegre, a Redenção. A obra estreará usando o espelho d’água (antes piscina olímpica e hoje patrimônio arquitetônico da capital gaúcha) como base para roteirização da dramaturgia. As cinco bailarinas usarão o entorno e o interior da piscina, visitando o tempo em que o local abrigava grandes competições de natação, como em 1939. As intérpretes utilizarão como elemento cênico para desenvoltura dos movimentos, câmeras de pneu de caminhão, mergulhando, portanto, em um passado de fruição cultural e esportiva. Para além disso, os figurinos, como maiôs, concordarão com a moda náutica do período e farão o alinhamento do contexto cênico.

Elenco: Carini Pereira, Clarissa Gomes, Consuelo Vallandro, Débora Rodrigues, Graziela Silveira
Direção Cênica: Simone Roratto
Concepção Coreográfica e Direção: Maria Waleska van Helden
Trilha: Vitório Azevedo
Duração: 15 min 

Intercâmbios e conexões :: Conversas de palhaços

+

Participantes: Coletivo Circo a céu Aberto (RJ) e Cia Garagem de Teatro (RS)

Horário: 15h às 16h

Sinopse: Na eterna busca do querer ser palhaço, perder é ganhar, pois na aceitação da perda há uma potência, isto é, a sua graça. Vislumbrando o desejo de alcançar um bom nível de qualidade profissional, as perdas, para o palhaço, são ao mesmo tempo bagagem e estímulo para novas tentativas. Comédia física, expressão corporal, clownaria clássica… esses e outros recursos são acessados de modo a despertar a interação com o público. A metodologia é pensada ainda visando abrir espaço ao improviso, com participação direta da plateia e outras interferências. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Intercâmbios e conexões :: História e memória

+

Participantes: Lume Teatro (SP) e Usina do Trabalho do Ator (RS) 

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Conversas sobre memórias e inventividades O corpo, como espacialização do aqui-agora, ou seja, do presente, mantém uma relação intrínseca com o tempo. Ele é uma presentificação, uma atualização do passado acumulado e do futuro porvir. Corpo, portanto, como duração presente-passado-futuro num ponto afetivo. A memória-corpo é uma dinâmica espiral temporal in continuum. Memória é criação: o mundo se recria no corpo. É nesse corpo-memória virtualizada que as potências poéticas estão instaladas. Conversar sobre memória é falar sobre inventividades, sobre processos, sobre coletividades e crítica política.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Interior

+

Grupo: Bagaceira de Teatro/ CE

Teatro adulto

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Traz para a cena duas velhinhas que insistem em não morrer. Elas já cruzaram diversas gerações e sabem tudo a respeito da vida. Dão conta de todas as histórias prováveis e improváveis. O espetáculo nos convida a um olhar criativo e amoroso perante a vida, onde o impossível é mero detalhe. Com muito bom humor, “Interior” é irreverente e, ao mesmo tempo, singelo. Cheio de afeto, igual a bolo feito por avós.

Texto e assistência de direção: Rafael Martins
Cenário, figurinos, iluminação, operação de luz e som e direção: Yuri Yamamoto
Elenco: Samya de Lavor e Tatiana Amorim
Atriz stand by: Debora Ingrid
Atores contrarregras: Ricardo Tabosa e Rogério Mesquita
Interlocução artística: Georgette Fadel e Maurice Durozier
Diretor de montagem: Ciel Carvalho
Cenotécnico: Josué Rodrigues
Preparação vocal: Luis Carlos Prata
Confecção de figurinos: Fátima Matos
Direção de produção: Rogério Mesquita
Duração: 75 minutos

Dia 11/10

.

Intercâmbios e conexões :: Continuidade e perspectivas

+

Participantes: Grupo Bagaceira de Teatro (CE) e Teatro Ofídico (RS)

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Os dois grupos participantes completam décadas de atividades sem interrupção, mas dentro de um cenário econômico incerto. O diálogo sobre esse tema vai em busca de uma reflexão de novas maneiras de financiamento, circulação e fruição do teatro de grupo no Brasil. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Meia noite

+

Grupo: Orun Santana/ PE

Dança

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: O espetáculo explora a capoeira como elemento criador e motivador do movimento, construindo um procedimento de uso de imagens/memória do corpo do dançador, dialogando dramaturgicamente a relação pai e filho, mestre e discípulo, sendo o intérprete filho do mestre Meia-noite (mestre de capoeira co-fundador do Centro de Educação e cultura Daruê Malungo, periferia do Recife). Aspectos da ancestralidade pessoal são colocados em evidência, revelando princípios motores e imaginário poético-político do corpo negro na cena. 

Concepção, Direção e Intérprete-criador: Orun Santana
Consultoria artística: Gabriela Santana
Assistente de direção: Junior Pereira Lima
Trilha Sonora: Vitor Maia
Iluminação: Natalie Revorêdo
Cenografia e figurino: Victor Lima
Produção: Danilo Carias – Criativo Soluções 
Duração: 60 minutos 

Dia 12/10

.

Boquinha... E assim surgiu o mundo

+

Teatro para infância e juventude

Horário: 16h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: “Boquinha… e assim surgiu o mundo” une teatro, circo e música para falar sobre o surgimento do mundo segundo diferentes culturas. O espetáculo se passa no sótão da casa do menino João Vicente

(Orlando Caldeira), onde ele encontra uma caixa com as pesquisas de seu avô escritor. Através dessas

pesquisas, João Vicente e Boquinha, um pequeno ser feito de dobraduras de papel, viajam pelas culturas cristã, africana, chinesa, pela cultura dos índios brasileiros e pela ciência, para entender como o mundo foi criado.

Texto: Lázaro Ramos 
Direção: Suzana Nascimento e Lázaro Ramos 
Elenco: Orlando Caldeira 
Direção de Movimento: Marcela Rodrigues 
Trilha Sonora: Ricco Viana e Antônio Van Ahn 
Luz: Valmyr Ferreira
Assistente de iluminação e operação de luz: Cíntia Barbosa 
Cenografia e figurino: Alberta Barro e Gabrielle Windmüller
Design Gráfico: Fernanda Guizan
Fotos: Julio Ricardo
Pesquisa: Susan Kalik
Coordenação de Projeto: Orlando Caldeira
Direção de Produção: Drayson Menezzes
Duração: 50 min

Intercâmbios e conexões :: Conversas sobre dança

+

Participantes: Casa 4 (BA) e Cia Ânima (RS)

Horário: 18h às 20h

Sinopse: Nos últimos anos, a Ânima Cia de Dança, uma das mais importantes companhias de dança do país, vem dedicando sua produção artística às questões relacionadas à mulher. Sobretudo nos três últimos trabalhos, aborda o tema através do protagonismo feminino, valendo-se deste como crítica social. Da mesma forma, o Coletivo Casa 4 se propõe a discutir sobre questões de gênero nas suas produções artísticas e também sua relação para com a construção de uma sociedade mais equitativa. Nesse diálogo, partem de compartilhamentos de suas pesquisas, trabalhos e trajetórias para potencializar espaços de debate que evidenciem a urgência da igualdade de gênero e essas discussões por toda a sociedade. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Projeto Transit :: Bookpink - O Livro dos Pássaros

+

Teatro adulto

Horário: 20h

Sinopse: Traz em suas diversas histórias e em seus personagens-pássaros, temas globais da atualidade como as relações familiares contemporâneas, e questões urgentes como imigração, homofobia e preconceito. Situações insólitas e um tom confidencial aparecem em diferentes narrativas, carregadas de um humor ácido e atual.

Direção: Liliane Pereira
Elenco: Gisela Rodriguez, Jeffie Lopes, Vivian Salva,Giovana de Figueiredo, Marcos Kligman, Ed Lannes, Yheuriet Kalil, Leon Oliveira,Bia Malagueta e Luna Schmid
Cinematografia: Bernardo Zancan
Trilha sonora, edição e finalização audiovisual: Paulo Ratkiwiecz
Dramaturgismo: Gisela Rodriguez
Produção: Liliane Pereira e Bernardo Zancan
Duração: 60 min
Realização do projeto Transit: Goethe-Institut Porto Alegre e Sesc/RS

Dia 13/10

.

Enquanto a chuva cai

+

Grupo: Cia. Fluctissonante e Pomeiro Gestão Cultural/ PR

Teatro para infância e juventude 

Horário: 16h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Encenada em Português e Libras simultaneamente e voltada à integração do público surdo e ouvinte na plateia, a peça acompanha o encontro e a aproximação de duas crianças órfãs dentro de uma casa em ruínas durante a guerra. A menina se comunica utilizando a Libras e o menino a Língua Portuguesa. Numa guerra, um amigo é como uma fonte no deserto. A barreira linguística, portanto, não pode ser um empecilho para que os dois personagens se tornem amigos e cúmplices na luta pela sobrevivência. Assim, em delicados jogos de cena, com brincadeiras simples e ternas, a aparente barreira entre os dois é resolvida e a comunicação entre eles acontece. 

Trabalho criado coletivamente por: Claudete Pereira Jorge, Helena de Jorge Portela, Igor Augustho e Nautilio Portela
Roteiro de Cena: Nautilio Portela
Direção: Claudete Pereira Jorge e Nautilio Portela
Assistente de Direção e Stand-In: Helena de Jorge Portela
Elenco: Gabriela Grigolom e Igor Augustho
Cenário e Figurinos: O Grupo
Iluminação: Judy Fiorese
Operação de Luz: Eduardo Neto
Trilha Original e Operação de Som: Chico Paes
Duração: 50 minutos 

Intercâmbios e conexões :: E o teatro para a infância?

+

Participantes: Coletivo Preto (RJ), Coletivo Órbita (RS), Teatro Ateliê (RS) e Grupo Oazes (RS)

Horário: 17h às 19h

Sinopse: Neste encontro, quatro coletivos do Brasil que possuem pesquisas e trabalhos para a infância e juventude dialogam sobre as narrativas propostas nessa cena para a infância, sobre representatividade, sobre outras e necessárias possibilidades a serem compartilhadas com esse público.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Intercâmbios e conexões :: Novos diálogos sobre continuidade e perspectivas

+

Participantes: Cia Bagaceira de Teatro (CE)  e Grupo Oazes (RS)

Horário: 19h às 20h

Sinopse: Nesse diálogo entre o Grupo Bagaceira e agora com o Grupo Oazes, segue a reflexão sobre perspectivas, novas maneiras de financiamento, circulação e fruição do chamado teatro de grupo. Quais as possibilidades de continuidade no cenário atual.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Projeto Transit :: Tentilhão

+

Teatro adulto

Horário: 20h

Sinopse: Em um prólogo, 5 quadros e um epílogo, a encenação virtual do texto “Tentilhão” da dramaturga alemã Caren Jeß por Thiago Silva tenciona sobre questões humanas como vaidade, identidade, pertencimento, exclusão e gênero através de um complexo conjunto de narradoras e personagens animais. Por meio de um elenco composto por cinco atrizes e uma linguagem híbrida que transita entre o teatral e o audiovisual, o espetáculo convida a/o espectadora/or a mergulhar em fábulas e fragmentos textuais que revelam um universo cênico de reflexão e sensorialidade criado para o vídeo.

Espetáculo virtual baseado na obra de Caren Jeß
Direção e concepção de encenação: Thiago Silva
Elenco: Ana Cecília Reckziegel, Bruna Johann, Cleo Soares, Hayline Vitória e Jennifer Ribeiro
Figurino: Jardel Rocha
Trilha sonora original: Régis Moewius
Iluminação e conceção de cenografia: Roger Santos
Maquiagem e caracterização cênica: Jennifer Ribeiro
Fotografia: Gabriel Viero e Renata Lorenzi
Filmagem e edição: Nós em Arte – Produtora Audiovisual
Material gráfico: Jardel Rocha
Produção: Hayline Vitória e Thiago Silva
Duração: 60min
Realização do Projeto Transit: Goethe-Institut Porto Alegre e Sesc/RS

Dia 14/10

.

Projeto Transit :: Debate Experimentos cênicos virtuais - Fábulas em trânsito

+

Foto: Micha Steinwachs

Participantes: Caren Jeß, Hayline Vitoria da Rosa, Thiago Silva, Liliane Pereira, Michele Rolim

Horário: 16h às 17h

Sinopse: Como o texto “Bookpink”, da autora alemã Caren Jeß, pode transitar em diferentes contextos territoriais e abrir assim infinitas possibilidades de encenação? Um debate sobre a universalidade das fábulas para criação de novas histórias e de como essas histórias podem estar acontecendo em qualquer lugar do mundo. 

Sobre Caren Jeß: Nascida em 1985, na Alemanha, estudou filologia alemã e literatura alemã moderna em Freiburg i.Br e Berlim. Ela estreou como dramaturga em 2017, quando sua peça “Deine Mutter oder Der Schrei der Möwe” (“Sua Mãe ou o Grito da Gaivota”) ganhou o terceiro lugar no Prêmio Osnabrück de dramaturgia. Em 2018, ganhou, com a peça “Bookpink”, a residência da “Münchner Förderpreis für deutschsprachige Dramatik” (Prêmio de incentivo para dramaturgia alemã de Munique). Com a estreia da produção de “Bookpink” em Graz, na Áustria, Caren foi indicada para o Prêmio Mülheim de dramaturgia em 2020 e declarada Jovem Dramaturga do Ano. Ela também ganhou o Else-Lasker-Schüler-Stückepreis por sua peça “Der Popper” e o prêmio do público TAZ do “26º microfone aberto” para “Die Ballade von Schloss Blutenburg”.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Terreiro envergado

+

Grupo: Coletivo Tanz/ PB

Dança

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Uma obra construída na relação que estabelece com o público, uma sucessão de pequenos ritos cotidianos, resignificados no corpo e no lugar, em constante transformação. Inspirado livremente nos ecos das obras do escritor paraibano José Lins do Rêgo em sua série sobre o ciclo da cana de açúcar (“Menino de engenho”, “Doidinho”, “Banguê”, “Usina” e “Fogo Morto”). Nesse terreiro “circulam” ambulantes, bêbados, mendigos, brincantes entre outras figuras místicas que povoam o imaginário popular e que nos convidam a dividir o mesmo espaço, seja palco ou praça para celebrar o encontro. Um verdadeiro caleidoscópio de imagens e sons que se traduzem no corpo atravessado e recortado pela força midiática e memória pessoal dos intérpretes. 

Concepção/Direção: Coletivo Tanz
Intérpretes criadores: Edigar Palmeira e Erik Breno
Dramaturgia: Nivaldo Rodrigues
Cenografia: Jarrier Alves e Erik Breno
Iluminador: Fabiano de Macêdo
Sonoplastia e produção: Viviane Freitas
Duração: 40 minutos 

Dia 15/10

.

Intercâmbios e conexões :: Pesquisas, construções e diálogos

+

Participantes: Coletivo Tanz (PB) e Cllã (RS)

Horário: 18h às 20h

Sinopse: Quais os elementos que formatam as pontes entre o público e os múltiplos sentidos de um espetáculo? Quais pontes podem e se estabelecem entre os coletivos? Profissionais da dança compartilham suas pesquisas, processos, perspectivas e análises do momento nesse encontro. 

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Ícaro

+

Grupo: LM Produções/ RS

Teatro adulto

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Ícaro é acima de tudo um espetáculo sobre a diversidade humana. Em cena um único ator e histórias que abordam temas universais, como relacionamentos entre pais e filhos, resiliência, relações amorosas, suicídio, preconceito, gravidez e maternidade. O ponto em comum: todas são depoimentos ficcionais de pessoas cadeirantes. Dramas que se tornaram espetáculo pelas mãos do gaúcho Luciano Mallmann, que estreia como dramaturgo e interpreta todas as personagens. A inspiração partiu das próprias experiências do autor e de pessoas que conheceu depois que passou a usar cadeira de rodas, quando sofreu um acidente com acrobacia aérea de circo em 2004. 

Dramaturgia e atuação: Luciano Mallmann
Direção: Liane Venturella
Trilha sonora original: Monica Tomasi
Design de luz: Fabrício Simões
Preparação vocal: Ligia Motta
Produção: Luciano Mallmann
Duração: 70 minutos

Dia 16/10

.

A Piscina :: Atividade presencial

+

Dança

Local: Espelho D’Água do Parque da Redenção

Intervenção artística (horário não divulgado previamente)

Sinopse: “A Piscina” é uma construção artística inédita de dança contemporânea, com ambientação no espaço do maior parque público de Porto Alegre, a Redenção. A obra estreará usando o espelho d’água (antes piscina olímpica e hoje patrimônio arquitetônico da capital gaúcha) como base para roteirização da dramaturgia. As cinco bailarinas usarão o entorno e o interior da piscina, visitando o tempo em que o local abrigava grandes competições de natação, como em 1939. As intérpretes utilizarão como elemento cênico para desenvoltura dos movimentos, câmeras de pneu de caminhão, mergulhando, portanto, em um passado de fruição cultural e esportiva. Para além disso, os figurinos, como maiôs, concordarão com a moda náutica do período e farão o alinhamento do contexto cênico.

Elenco: Carini Pereira, Clarissa Gomes, Consuelo Vallandro, Débora Rodrigues, Graziela Silveira
Direção Cênica: Simone Roratto
Concepção Coreográfica e Direção: Maria Waleska van Helden
Trilha: Vitório Azevedo
Duração: 15 min 

Intercâmbios e conexões :: Fomento e difusão cultural, a importância da circulação de artes cênicas

+

Participantes: Coletivo Órbita (RS), Luciano Malmann (RS), Coletivo Errática (RS) e A mulher arrastada (RS)

Horário: 17h às 18h

Sinopse: O encontro de grupos, profissionais que já participaram de projeto de circulação nacional, regional e de fomento para a produção de artes cênicas no país. Um momento de reflexão e diálogo sobre as perspectivas, expectativas e sobre a importância desses movimentos de difusão das artes para a cadeia produtiva e sensibilização de plateias.

Transmissão: Zoom

Inscrições gratuitas. Clique aqui para se inscrever. 

Salão

+

Grupo: Casa 4/ BA 

Dança

Horário: 20h

Transmissão: YouTube Sesc Brasil

Sinopse: Amor, breguice e viadagem conduzem o “dois pra lá, dois pra cá” de “Salão”. Em cena, busca-se repensar os estereótipos de gênero que tradicionalmente envolvem as danças de salão e excluem outras possibilidades de dançar a dois.

Direção: Leandro de Oliveira
Assistente de coreografia: Bárbara Barbará
Intérpretes-criadores: Alisson George, Guilherme Fraga, Jônatas Raine e Marcelo Galvão
Bailarino convidado: Ruan Wills
Figurino: Diego Solon
Cenário, Fotografia e Bondage: Davi Celuque
Iluminação: Leandro de Oliveira e Leonardo Santos
Designer: Diego Moreno
Produção: Marcelo Galvão e Guilherme Fraga
Duração: 45 minutos