Como participar: para solicitar acesso às salas (através da plataforma Zoom), o interessado deve enviar e-mail com o nome completo, data e horário do encontro que tem interesse em participar para: palcogiratoriosesc@sesc-rs.com.br.

Atividades gratuitas

MEDIAÇÃO

Ana Luiza da Silva
Bacharel em teatro, habilitação em Interpretação Teatral e mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atriz e produtora cultural. Idealizadora da Complô Cunhã, um espaço para mover projetos de, com e por mulheres.

 

Igor Ramos
Ator, diretor, iluminador, arte-educador e produtor cultural. Graduado em Produção de Espetáculos Cênicos pela faculdade Monteiro Lobato (POA) e Pós Graduado em Artes Cênicas pela faculdade Censupeg de Canela/ RS. Fundou em 1999 o Grupo Teatral Leva Eu, onde é diretor geral. Atualmente ministra aulas de teatro nos colégios Espírito Santo (Canoas), colégio Stella Maris e na Associação de Recuperação do Menor Novo Lar (Viamão), e ainda no Colégio Nossa Senhora do Brasil (POA). É também idealizador e curador do FESTIVE – Festival Viamonense de Teatro Estudantil

INTERCÂMBIOS

O eixo prevê encontros entre artistas de diferentes regiões do país. Um espaço para troca de experiências, de processos artísticos, escolhas estéticas e pesquisas realizadas no campo das artes cênicas. 

18/05, 11h
Mediação de Ana Luiza da Silva – com Yara Novaes (MG) e Patrícia Fagundes (RS)

18/05, 17h [PRESENCIAL]
Mediação de Ana Luiza da Silva – com Grupo Magiluth (PE) e Coletivo Errática (RS)
Local: Sala Carlos Carvalho (Casa de Cultura Mario Quintana – Porto Alegre)

19/05, 18h 
Mediação de Igor Ramos – com Coletivo Instrumento de Ver (DF) e Circo Híbrido (RS)

20/05, 14h
Mediação de Igor Ramos – com Anti Status Quo Cia de Dança (DF) e Suzi Weber (RS)

20/05, 15h 
Mediação de Ana Luiza da Silva – com Inquieta Cia (CE) e Teatro Ofídico (RS)

21/05, 17h
Mediação de Ana Luiza da Silva – com La Vaca Cia de Artes Cênicas (SC) e Jaques Machado (RS)

24/05, 14h 
Mediação de Igor Ramos – com Mayara Ferrão (MG) e Pretagô (RS)

26/05, 14h
Mediação de Igor Ramos – com Catavento Cia Circense (GO) e Fita Crepe Cia de Teatro (RS)

27/05, 14h 
Mediação de Ana Luiza da Silva – com Eranos Círculo de Artes (SC) e Rococó Produções Artísticas e Culturais (RS)

27/05, 17h 
Mediação de Igor Ramos – com Mauricio Lima (RJ) e Chiquinho D’Vilas (RS)

DEBATES

Encontros – a partir de temáticas propostas – entre profissionais e coletivos de diferentes partes do país. Os debates são espaços abertos para trocas de percepções, experiências e práticas.

17/05, 17h: Produção artística de artes da cena do jornalismo cultural

+

Mediação de Igor Ramos – com Quarta Parede (PE) e Roger Lerina (RS)

Sinopse: As possibilidades de produção crítica de artes da cena no jornalismo cultural por meio das tecnologias digitais. Abordando as possibilidades de formação de público e produção de pensamento no contexto das tecnologias digitais, abrangendo as experiências e reflexões dos participantes em torno de questões como estratégias de criação, desafios de produção, condições de financiamento e sustentabilidade das plataformas.

19/05, 17h: Do mundo para as telas

+

Mediação de Ana Luiza da Silva – com Ricardo Gadelha (RJ) e Grupo de Teatro de Pernas pro Ar (RS)

Sinopse: Para pensar o fazer artístico em tempos pandêmicos, Ricardo Gadelha, Raquel Durigon e Luciano Weiser compartilham os desafios vivenciados impostos pelo confinamento e o distanciamento social. Como o artista pode impactar seu público quando depende da mediação de plataformas digitais para se fazer presente? Numa linguagem onde a interação direta e viva com o público é parte essencial da performance artística (e até da própria dramaturgia, como no caso do Circo e da Palhaçaria) como a tecnologia redefine caminhos criativos? Nesta conversa, apresentam as diferentes estratégias que adotaram durante a pandemia do Covid-19, tencionando a ideia de presença e propondo um debate sobre hibridismo na cena circense contemporânea.

20/05, 17h: Arqueologias do Futuro - Museu dos Meninos

+

Mediação de Igor Ramos – com Mauricio Lima (RJ) e Rafa Rafuagi (RS)

Sinopse: O debate parte do intercâmbio de experiências acerca da negritude em diversos territórios, como parte importante na construção de novas perspectivas para a sociedade, entendendo as semelhanças e distâncias em cada lugar. Há diversidade e pluralidade na composição de pensamentos acerca da juventude negra e periférica e, portanto o exercício de futuridade pode ser um campo de criação muito importante na formação dos imaginários sobre nossa constituição cultural e social. Um convite para pensadores e ativistas negros que desenvolvem ações voltadas para a luta antirracista para debater sobre questões relacionadas à negritude a partir das obras do Museu dos Meninos – que consiste num acervo de 30 vídeosdepoimentos de jovens homens negros moradores do Complexo do Alemão – e juntos imaginar estratégias para escurecer futuros.

24/05, 17h: Festivais híbridos e políticas públicas

+

Mediação de Igor Ramos – com PAN – Potência das Artes do Norte (AM) e Fernando Zugno (RS)

Sinopse: O debate propõe realizar diálogos acerca das mudanças ocasionadas nos Festivais de Artes Cênicas no Brasil, construindo espaço de reflexão dos formatos presenciais, virtuais e híbridos e as necessidades de produção e de financiamento. Além disso, apontar, também, que a partir das ressignificação dos formatos, as políticas públicas precisarão acompanhar essas mudanças no intuito de desenvolver os setores da cadeia produtiva da cultura, levando em consideração o diálogo do presencial e virtual.

25/05, 17h: Tecnologia x ancestralidade

+

Mediação de Igor Ramos – com Mayara Ferrão (BA) e Pretagô (RS)

Sinopse: Debate que tem o intuito de criar um intercâmbio de possibilidades de narrativas estéticas traduzidas na diáspora a partir da relação entre tecnologia x ancestralidade, desenterrando sistemas afropresentistas e afrofuturistas de linguagem, seja pela oralidade, escrita ou imagem. Entre a realidade e a ficção, performance, música, instalação, discute a saúde mental do povo negro e dissidente a fim de difundir conhecimentos de matriz africana e nativa brasileira sob uma perspectiva contemporânea, buscando ampliar e democratizar o alcance e facilitar o acesso a um conteúdo plural e igualitário, além de desmistificar as teorias que sustentam a intolerância religiosa e o racismo.

26/05, 17h: Dramaturgias em confinamento

+

Mediação de Ana Luiza da Silva – com Grupo Magiluth (PE) e Grupo Jogo (RS)

Sinopse: Nesse debate, os grupos envolvidos refletem sobre o processo de construção dos experimentos virtuais em um contexto de distanciamento social. Trazendo os questionamentos sobre a forma possível de reinstaurar a presença compartilhada entre atores e espectadores, que novos modos de interação podem ser construídos em conjunto, em diálogo, num tempo de suspensão.

REALIZAÇÃO