Veja mais

Sobre

O Sesc Maturidade Ativa, criado em 2003, tem como objetivo promover a qualidade de vida e o envelhecimento ativo de pessoas com idades a partir de 60 anos. No programa, os participantes reúnem-se para conviver, divertir, confraternizar, aprender, desenvolver seus potenciais, além de realizar trabalhos comunitários e solidários. Trata-se de um movimento social organizado que tem por missão construir um novo significado social para o envelhecimento, valorizando o papel do idoso na sociedade contemporânea e estimulando a realização de trabalhos comunitários e a prática da responsabilidade social individual.

Diretrizes

  • 1ª diretriz – Relações Intergeracionais

    O conceito de “geração” é utilizado para distinguir grupos de pessoas nascidas em uma mesma época e que vivenciaram os mesmos acontecimentos. Programas Intergeracionais são meios, estratégias, oportunidades e formas de criação de espaços de encontro, sensibilização e promoção do apoio social, intercâmbio recíproco, intencional, comprometido e voluntário de recursos, aprendizagens, ideias e valores para a produção de laços afetivos, mudanças e benefícios individuais, familiares e comunitários que permitam a construção de sociedades mais justas, integradas e solidárias. A vivência das relações intergeracionais possibilita a troca de experiências entre os idosos, jovens e crianças, viabilizando a transmissão da:

    a) Memória cultural: histórias da família, da comunidade, além de valores morais e saberes práticos. Promovem a desalienação cultural e política dos jovens ao permitirem que filhos e netos conheçam suas raízes;
    b) Educação para a velhice: a partir de modelos de comportamento de como administrar os ganhos e as perdas que o envelhecimento pode trazer;

    Além disso, valoriza o saber e a experiência de vida do idoso, resgatando e ressignificando o conhecimento construído ao longo a vida, e contribui para reverter estereótipos e avaliações negativas que as crianças têm das pessoas mais velhas.

    Numa via contrária, os jovens também podem ensinar os mais velhos, através da educação para as novas tecnologias, transmitindo o conhecimento e a manipulação de computadores e produtos eletrônicos e a navegação na Internet; Ou ainda, através da educação para os novos tempos, que propicia aos mais velhos compreenderem e se relacionarem melhor com os jovens. A finalidade de uma ação intergeracional é sempre a mesma: o desenvolvimento das relações. No Sesc, essa diretriz é colocada em prática através do voluntariado (em projetos em parceria com escolas com objetivos comunitários) ou através do lazer e cultura (em atividades vinculadas a música, teatro, literatura, dança, artes plásticas, artesanato, fotografia, cinema, exposição), através das quais acontecem encontros intergeracionais que buscam criar vínculos entre as diferentes gerações.

  • 2ª diretriz – Gerontologia como tema transversal

    O foco dessa diretriz é permitir que todos possam vivenciar e perceber a velhice como um processo do ciclo de vida, em que há possibilidade de uma existência plena. Espaços de debates, seminários e palestras sobre envelhecimento humano contribuem para a construção do conhecimento junto aos idosos, promovendo a qualidade de vida para todos.

    As previsões estatísticas apontam a ocorrência de uma transição demográfica nunca antes vista, através da qual está havendo nas últimas décadas um aumento significativo da população idosa. O Sesc, como promotor da qualidade de vida, deve contribuir na educação para o envelhecimento humano. Através de atividades como palestras, seminários e debates é possível:

    a) Ampliar o conhecimento dos idosos acerca de temas atuais;
    b) Incentivar hábitos saudáveis que melhorem a qualidade de vida;
    c) Contribuir para que o idoso atue como um protagonista social;
    d) Promover a troca de experiência entre os idosos e entre as gerações;
    e) Informar os idosos acerca de seus direitos e deveres como cidadão.

    A finalidade dessa diretriz é discutir sobre o tema “envelhecimento humano”, relacionando este com outros temas relevantes. Entre os temas mais trabalhados estão: prevenção de diversas doenças, atividade, física, nutrição, direitos, educação ambiental, hábitos saudáveis, capacidade funcional, ação comunitária, cultura, literatura, saúde bucal, cuidados no trânsito, primeiros socorros, mundo virtual. Os palestrantes podem ser profissionais voluntários, estudantes de universidades, parceiros, integrantes do grupo da Maturidade Ativa, colaboradores do Sesc ou profissionais contratados pelo Sesc.

  • 3ª diretriz – Protagonismo do idoso

    A perspectiva da terceira diretriz tem o foco nas ações voltadas para a comunidade. Deve-se criar espaço para que os idosos sejam protagonistas, utilizando seus talentos e potencialidades em prol das necessidades sociais. Nessa interação entre os idosos e as comunidades cresce o respeito aos mais velhos.

    A representação social da velhice sofreu significativas transformações ao longo da história da humanidade. A modificação dos modelos de família e dos modos de produção dissolveu aos poucos o papel social do idoso como guardião da sabedoria ancestral, tornando-o, em muitos casos, um sujeito marginalizado. O processo de industrialização abalou a segurança econômica dos velhos, e alterou as tradicionais relações familiares estreitas, através das quais a velhice tinha um tratamento familiar mais respeitoso e honrado. O status social da pessoa envelhecida diminuiu na medida em que os valores produtivistas ascenderam. As imagens de envelhecimento e velhice passaram, aos poucos, a ser associadas à incapacidade, num cenário onde é supervalorizado o que é novo e jovem.

    No entanto, a velhice pode ser uma fase repleta de realizações e conquistas. O idoso é um potencial agente de transformação social, que pode contribuir para o cumprimento da missão do Sesc. O Sesc por sua vez, representa para os idosos a oportunidade de resgatar sonhos e projetos de vida, através dos quais o idoso sinta-se realizado, reconhecido e valorizado. Nesse sentido, o Sesc torna-se um espaço no qual:

    a) O idoso é incentivado a redescobrir suas capacidades e potencialidades;
    b) O idoso é estimulado a utilizar essas capacidades e potencialidades em prol das pessoas e da comunidade que estão a sua volta.

    O Sesc respeita as preferências dos idosos nesse processo, e incentiva-os a participar da construção das ideias relacionadas a essas ações. É importante que as atividades valorizem a experiência e o conhecimento histórico dos idosos. Essa diretriz é traduzida em ações como, por exemplo:

    a) Idosos ministrando oficinas para o próprio grupo da Maturidade Ativa;
    b) Idosos ministrando oficinas para outros grupos da comunidade;
    c) Idosos participando da organização de ações sociais voltadas à comunidade;
    d) Idosos realizando atividades de contação de histórias para outros idosos ou outras gerações;
    e) Adoção de canteiros municipais;
    f) Adoção de entidades carentes como Creches ou ILPs;
    g) Realização de ações ambientais na comunidade.

  • 4ª diretriz – Envelhecimento Ativo

    As atividades oferecidas pelo Sesc visam estimular um envelhecimento mais ativo e mais saudável, através de ações educativas em saúde, com o objetivo de melhorar sua qualidade de vida. Por meio de atividades sistemáticas pautadas na metodologia de grupo, estimula-se a participação física, mental e social do idoso. A diretriz do envelhecimento ativo é colocada na prática na medida em que as outras três diretrizes, citadas acima, também são praticadas. Desta forma, pode-se afirmar que todas as atividades do Sesc que considerarem o idoso como um potencial agente de transformação social, que possui potencialidades capazes de contribuir com a construção de uma vida melhor para esta e para as próximas gerações, contribuem para um envelhecimento ativo. O fato de reunir os participantes da Maturidade Ativa, estimulando a socialização e integração, contribui de forma significativa que o idoso engaje-se em atividades comunitárias. Os momentos de lazer, como chás, encontros e confraternizações são, desta forma, muito importantes, pois fortalecem as amizades dentro do grupo, motivando-o a agir também fora do grupo. Sendo assim, pode-se afirmar que o Sesc pode ressignificar o envelhecimento das pessoas, com atividades como:

    a) Confraternizações: criam amizades, fortalecem os vínculos, possibilitam ao idoso a ressocialização, motivando as pessoas a engajarem-se em causas sociais e desta forma viverem um envelhecimento mais ativo;
    b) Reuniões: permite que os idosos sintam-se parte da organização e planejamento de atividades, num espaço propício para que ele utilize seu potencial criativo, tornando-se uma pessoa mais ativa;
    c) Atividades físicas: contribui de forma determinante para a manutenção de capacidades físicas fundamentais para a autonomia funcional do idoso, além de gerar a socialização, requisitos importantes para promover o envelhecimento ativo;
    d) Palestras: promovem a conscientização a respeito de hábitos saudáveis, conhecimento de direitos e deveres, construção do senso crítico, além de educar os idosos sobre temas atuais, permitindo desta forma que os mesmos estejam preparados e motivados para viver o envelhecimento ativo.

  • QUEM PODE PARTICIPAR

    As atividades oferecidas pelo Sesc visam estimular um envelhecimento mais ativo e mais saudável, através de ações educativas em saúde, com o objetivo de melhorar sua qualidade de vida. Por meio de atividades sistemáticas pautadas na metodologia de grupo, estimula-se a participação física, mental e social do idoso. A diretriz do envelhecimento ativo é colocada na prática na medida em que as outras três diretrizes, citadas acima, também são praticadas. Desta forma, pode-se afirmar que todas as atividades do Sesc que considerarem o idoso como um potencial agente de transformação social, que possui potencialidades capazes de contribuir com a construção de uma vida melhor para esta e para as próximas gerações, contribuem para um envelhecimento ativo. O fato de reunir os participantes da Maturidade Ativa, estimulando a socialização e integração, contribui de forma significativa que o idoso engaje-se em atividades comunitárias. Os momentos de lazer, como chás, encontros e confraternizações são, desta forma, muito importantes, pois fortalecem as amizades dentro do grupo, motivando-o a agir também fora do grupo.

Atividades

Reuniões de continuidade: são reuniões para as quais todos os participantes serão convidados, com o objetivo principal de promover a convivência. Nesses encontros são apresentados os cronogramas mensais das atividades, coletam-se sugestões, trocam-se experiências, recebem-se oficialmente os novos participantes, etc. Para fortalecer os vínculos sociais entre os participantes, frequentemente são realizadas após essas reuniões atividades com foco na socialização e integração, como: chás, mateadas, comemorações de aniversário, dinâmicas de grupo, piqueniques, trocas de experiência.

Palestras ou bate-papos educativos: atividades nas quais um palestrante aborda um tema transversal relacionado ao Envelhecimento Humano, como por exemplo: saúde bucal, atividade física, nutrição, prevenção e tratamento de doenças, planejamento financeiro, sexualidade na 3ª idade, cultura e envelhecimento, memória e envelhecimento, etc. Após a exposição do palestrante é dada a oportunidade para os ouvintes fazerem perguntas e participarem. Frequentemente também são utilizados filmes para promover debates sobre um tema específico de interesse dos idosos.

Campanhas sociais: as campanhas sociais são atividades voltadas para as necessidades da comunidade local na qual está inserido o grupo da Maturidade Ativa. A partir do levantamento das necessidades locais, deverá ser acordado com o grupo e a gerência da UO as entidades que serão beneficiadas pelas campanhas do grupo. Poderão ser feitas arrecadação de brinquedos, material de higiene, roupas;

A Campanha Social contempla:
a) Arrecadação (geralmente dura o mês todo);
b) Visita à instituição beneficiada.

Ocorre em cada grupo da Maturidade Ativa pelo menos uma campanha social por mês.
Todos os participantes são convidados a participar da campanha social, e as formas de participação são:
a) Doação de produtos (de acordo com os itens que estão sendo arrecadados no mês vigente);
b) Doação de serviços: essa forma de doação ocorre quando o participante estiver disposto a contribuir com uma entidade beneficiada através das suas capacidades na forma de serviços.

Oficinas: são atividades que têm como objetivo o desenvolvimento das potencialidades dos participantes em relação a um assunto ou área específica, que podem ser realizadas com todo o grupo ou com apenas uma parte do grupo; eventualmente ou sistematicamente.

A programação desenvolvida pelo grupo inclui, pelo menos, dois tipos de oficina, cada uma delas com frequência semanal.

São exemplos de oficinas: oficina de canto, oficina de coral, oficina de jogos de mesa, oficina de trabalhos manuais, oficina de câmbio, oficina de alongamento, oficina de memória, oficina de dança, oficina de ritmos, oficina de caminhada, oficina de bocha, oficina de contação de histórias, oficina de literatura, oficina tradicionalista, oficina de música, oficina de tricô, oficina de crochê, oficina de culinária.

Cada grupo desenvolve a oficina conforme os interesses da maioria dos participantes e a realidade local da Unidade do Sesc.

Eventos da Unidade do Sesc: são acontecimentos especiais, realizados sempre de maneira alinhada as diretrizes do Sesc, como, por exemplo: Bailes temáticos, Torneios esportivos da Maturidade, Caminhadas temáticas, Mostras de Dança, Dia do Desafio, Mesa Brasil.

Eventos corporativos: o Sesc realiza, anualmente, os seguintes eventos corporativos com foco no atendimento dos participantes do Programa Sesc Maturidade Ativa:

– Mês do Idoso: evento que consiste em um conjunto de atividades promovidas com o objetivo de marcar o Dia do Idoso (1º de outubro), através do qual são desenvolvidas atividades como, por exemplo: seminários, debates, gincanas recreativas e culturais, caminhada do Idoso, cinema, teatro, literatura, gincana cultural, show de talentos da Maturidade Ativa, oficinas de beleza, dança, câmbio, alongamento, relaxamento, massagem, atividades físicas, esportes, jogos de mesa, recreação, ações sociais, chás, atividades relacionadas à prevenção da saúde.

– Convenção da Maturidade Ativa: evento que tem como objetivo integrar os 51 grupos do Programa Sesc Maturidade Ativa do estado do Rio Grande do Sul, e ocorrerá sempre no mês de novembro, em Torres. São quatro dias de integração nos quais mais de 1700 idosos usufruem de atividades de lazer, saúde, cultura, cidadania e educação.

Passeios turísticos: são passeios realizados com o grupo da Maturidade Ativa com o objetivo de enriquecer o conhecimento histórico, cultural ou social dos participantes. Por exemplo: integração entre grupos da Maturidade Ativa, visitação a pontos turísticos históricos.

Como participar

  • Quem pode participar?

    a) Pessoas com idade igual ou superior a 60 anos de idade;
    b) Comerciários, dependentes de comerciários, empresários e usuários.

  • Como me inscrever?

    Para inscrever-se, procure o Sesc mais próximo de você. Depois disso é só fazer o cartão Sesc (sem custo), exercitar a cidadania e ganhar qualidade de vida. Será muito bom recebê-lo!

Mês do Idoso

Entre os dias 25 de setembro e 258 de outubro, os Grupos Maturidade Ativa de todo o Rio Grande do Sul realizam ações alusivas ao Mês do Idoso. Serão diversas atividades culturais, recreativas e educativas que têm como foco o protagonismo da terceira idade. O projeto tem a finalidade de proporcionar espaços de integração e reflexão sobre envelhecimento, incentivando a interação e o empoderamento social deste público. A ação faz alusão ao Dia Internacional do Idoso, comemorado em 1º de outubro.

Confira abaixo a programação de cada cidade:

Cidade Cidade Cidade Cidade
Alegrete Bagé Balneário Pinhal Cachoeira do Sul
Camaquã Capão da Canoa Cruz Alta Dom Pedrito
Erechim Esteio Farroupilha Frederico Westphalen
Gramado Ijuí Lajeado Montenegro e Pareci Novo
Palmeira das Missões Passo Fundo Pelotas Portão
Porto Alegre Rosário Santa Maria Santana do Livramento
Santa Rosa Santiago Santo Ângelo São Borja
São Gabriel São Leopoldo São Luiz Gonzaga São Sebastiao do Caí
Taquara Torres Três Passos Vacaria